Dakar: Ricky Brabec Vence E Acaba Com Jejum de 31 Anos da Honda

O americano e a Honda foram demasiado fortes nesta edição do Dakar,. A marca nipónica colecionou vitórias em etapas e Brabec subiu ao degrau mais alto do pódio.

0

Após 31 anos de um interminável jejum, a Honda tornou a saborear a vitória no Dakar. Em 2020, com uma equipa de peso presente na primeira edição da prova na Arábia Saudita, a marca japonsesa triunfou de forma concludente. Foi de longe a equipa com mais vitórias em etapas, 6 em 10 possiveis, visto que a 7ª foi cancelada e a 8ª anulada. A equipa Honda Racing, foi superior a todos os níveis, vendo ainda um dos seus pilotos, o americano Ricky Brabec, sair como o grande vencedor. Decerto que para este resultado e performance, foram importantes dois portugueses, este ano com uma forte posição na equipa embora não como pilotos: Hélder Rodrigues e Ruben Faria.

José Ignácio Cornejo

A derradeira etapa da prova, ligando hoje Haradh a Qiddiya, com 167 quilómetros de especial, foi ganha pelo chileno José Ignácio Cornejo, numa das Honda oficiais, da Monster Energy Honda Team 2020. O chileno chegou a Qiddiya com 53s de vantagem sobre o seu companheiro de equipa e vencedor à geral, o americano Ricky Brabec. Toby Price ficou no 3º lugar da etapa, sendo hoje o melhor dos pilotos do Red Bull KTM Factory Team. O australiano demorou mais 2m25s que o vencedor. Também aos comandos de uma das KTM oficiais, Luciano Benavides foi 4º, seguido do chileno Pablo Quintanilla, que na Husqvarna oficial da Rockstar Energy foi o único piloto não Honda e KTM a vencer etapas nesta edição da prova.

“No fim de tudo, conseguimos colocar corretamente todas peças do puzzle”, disse Ricky Brabec. “Todos os pilotos da equipa tornaram isto possivel. Estou extremamente feliz. É o meu quinto Dakar, a segunda vez que termino. Acordei esta manhã feliz por só ter que guiar mais este dia. E aqui estamos. Vencemos! Tivemos que ser inteligentes e estar focados a cada dia. Não há ninguém que se destaque nesta equipa. Todos trabalhamos juntos, soms uma família. Vencemos todos!”

Nas contas da classificação geral, atrás de Ricky Brabec, a 16m26s, ficou o chileno Pablo Quintanilla. Toby Price ficou com a 3ª posição, seguido de José Ignácio Cornejo e Matthias Walkner (KTM).

Nesta edição do Dakar, a mais perigosa dos últimos anos e onde nem tudo correu bem, tivemos no dia de ontem mais um grave acidente com um dos pilotos das motos. O holandês Edwin Straver sofreu uma queda ao km 120 da etapa que ligou Shubaytah a Haradh, tendo na sequência entrado em paragem cardíaca. Ao que sabemos está ainda hospitalizado, em estado crítico.

Edwin Straver

Ignacio Casale Vence Dakar nos Quads

Na prova reservada aos quads, Ignacio Casale chegou ao derradeiro dia sabendo que tinha que gerir 21m16s de vantagem sobre o francês Simon Vitse. O chileno optou por uma postura cautelosa e terminou no 4º lugar, a pouco menos de três minutos do francês, que foi 3º. O polaco Arkadius Lindner venceu esta derradeira especial, com 1m21s de vantagem sobre o chileno Giovanni Enrico.

Arkadius Lindner

Na classificação geral, o chileno Ignacio Casale venceu com confortáveis 18m24s de vantagem sobre o francês Simon Vitse. O polaco Rafal Sonik foi 3º, seguido do argentino Manuel Andujar e de outro polaco, Kamil Wisniewski.

“É fantástico chegar aqui. Venci o meu terceiro Dakar”, disse Ignacio Casale. “Estou feliz, esta é uma prova longa e demolidora. Tive alguns problemas na segunda semana, mas a equipa conseguiu resolver dentro do possível. Trabalhámos muito durante todo o ano com os mecânicos e agora podemos celebrar esta vitória. Muito obrigado e Viva o Chile.”

Texto: Jorge Cabrita – Fotos: ASO/DPPI (Frédéric Le Floch, François Flamand, Eric Vargiolu, Florent Gooden)

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of