Lewis Hamilton

Lewis Hamilton concluiu hoje da melhor forma a temporada de Fórmula 1, aquela em que se sagrou campeão do mundo pela sexta vez. O britânico venceu em Abu Dhabi, numa prova em que liderou em toda a linha aos comandos do Mercedes F1 W10. Em Abu Dhabi, Hamilton continua a vencer de forma consecutiva desde 2014. O britânico concretizou a 50ª vitória na carreira, a 11ª este ano, além de igualar um record de Ayrton Senna, de 19 vitórias em corridas lideradas do princípio ao fim.

Depois de largar para a corrida da primeira posição, logo no arranque se percebeu que o britânico não ia dar chances à concorrência. Com o Mercedes #44 a abrir distância, havia luta nas posições seguintes, onde Charles Leclerc impunha o Ferrari a Max Verstappen, que tinha atrás de si, Sebastian Vettel (Ferrari), Alexander Albon (Red Bull) e os dois McLaren com Lando Norris na frente de Carlos Sainz. No extremo oposto, Valtteri Bottas, saindo da última posição, vinha subindo na tabela classificativa e ao fim da primeira volta já estava nos 16 primeiros, apesar de uma anomalia o estar a impedir de fazer uso do DRS. O finlandês não pôde usar esse recurso durante as primeiras 18 voltas da corrida.

Valtteri Bottas

Com a Ferrari a ver o líder destacar-se, jogou na estratégia e chamou ou seus dois carros à paragem na 13ª volta, mas se com Leclerc tudo correu dentro da normalidade, o pneu traseiro do lado de esquerdo do carro de Vettel deu problemas e o alemão esteve 6.9 segundos na boxe. Charles Leclerc regressou à pista em 4º, atrás de Hamilton, Verstappen e do alemão Nico Hulkenberg, em corrida de despedida com a Renault.

Na 26ª volta, Verstappen parou e quando regressou à pista estava atrás de Charles Leclerc. Na 32ª volta, o holandês da Red Bull ataca a segunda posição e supera Leclerc com uma manobra arriscada. O francês é obrigado a alargar a trajetória e a entregar a posição que tinha na corrida. Ainda na mesma volta Leclerc tenta recuperar o 2º lugar, mas de novo Verstappen não lhe dá um milímetro obrigando-o a alargar a trajetória. À 39ª volta, os Ferrari param de novo e desta vez sem problemas.

Até ao fim da corrida, não há alterações na frente e Lewis Hamilton vence, com confortáveis 16.772s sobre Max Verstappen. Já a mais de 43 segundos do primeiro, chega Charles Leclerc na 3ª posição.

"Que forma de encerrar a temporada", disse Lewis Hamilton. "Como equipa, no seu todo, fomos muito fortes este fim de semana e o Valtteri fez também um excelente trabalho. Estou imensamente grato a todos, pelo intenso esforço contínuo e dedicação esta temporada, juntos continuamos a elevar muito a fasquia. O apoio tem sido inacreditável e isso deixa-me muito entusiasmado. Muito obrigado a todos quantos me apoiaram, não só aqui mas também nas suas casas. O Team LH é um movimento muito bom e positivo, do qual gosto muito.
Este talvez tenha sido o ano de maior crescimento para nós como equipa, por isso espero que nos posicione da forma correta para os desafios do próximo ano. Tive grandes corridas com o Valtteri, Max e Charles este ano e antecipo que será ainda mais difícil em 2020. Eles vão trabalhar duro para subir a fasquia, não tenho ilusões que este inverno terei que fazer o mesmo. Sinto-me bem e pronto para continuar e já estou ansioso pelo desafio do próximo ano"
.

Com uma verdadeira corrida de recuperação, Vallteri Bottas chegou ao 4º lugar. Mais uma vez, o finlandês mostrou que é um dos melhores pilotos atualmente na Fórmula 1, tornando a realizar uma grande corrida, para a qual saiu da última posição.

Se nos três primeiros não houve luta a partir de meio da prova, disputou-se a 5ª posição nas duas últimas voltas da corrida. Alexander Albon preparava-se para ser 5º no Red Bull, mas acabou presa fácil para a ponta final de Sebastian Vettel, com o alemão ter os pneus do Ferrari em bem melhores condições na fase final da prova.

Quem também teve uma excelente ponta final foi o mexicano Sérgio Perez, que ao volante do Racing Point viria a conseguir 'roubar' o 7º lugar na última volta a Lando Norris. O 'rookie' perdeu algum rendimento no McLaren Renault durante a derradeira volta, acabando com Danil Kvyat bem perto de si. Quem sabe, com mais uma passagem pela linha de meta o russo dava um 8º lugar à Toro Rosso.

A fechar o top 10 na derradeira corrida do ano, o espanhol Carlos Sainz confirmou que o 'casamento' McLaren/Renault vem dando frutos. Foi no fim da corrida que o espanhol retirou um ponto a Nico Hulkenberg na sua derradeira prova com a marca do losango.

Texto: Jorge Cabrita - Fotos: Oficiais/Mercedes, Ferrari, Red Bull (Getty Images), Racing Point, McLaren (Motorsport Images)

Sérgio Perez
Carlos Sainz

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of