Lewis Hamilton está na pole position para o Grande Prémio de Abu Dhabi, etapa que encerra a temporada de Fórmula 1. Já com mais um título ‘no bolso’, o sexto da sua carreira na categoria máxima do desporto automóvel, Hamilton não começou o fim de semana da melhor forma, lutando para conseguir extrair o máximo do seu Mercedes nos treinos de sexta-feira e sábado de manhã. À noite, no entanto, esteve ao melhor nível no Qualifying, conseguindo no Q3 efetuar o melhor tempo no início da sessão, registo que conseguiu ainda melhorar na sua última tentativa, precisamente quando a concorrência fazia tudo para se colocar na sua dianteira. O britânico fixou a melhor volta ao Yas Marina Circuit em 1m34.779, desta forma concluindo o ‘jejum’ a que estava sujeito desde junho, quando garantiu a pole position para o GP da Alemanha.

“Esta foi uma sessão de Qualifying muito boa para nós”, disse Hamilton no final. “O Qualifying não tem sido fácil para mim este ano mas tem sido algo que a equipa tem conseguido assegurar. Ontem o dia foi difícil para mim, forçando-me a colocar todo o foco para hoje. Não há nada melhor que chegar ao Q3 e conseguir concretizar boas voltas. Por isso, o meu obrigado a toda a equipa pelo seu esforço contínuo. Apesar de já termos conseguido garantir todos os títulos, continuamos o nosso esforço para tirar o melhor de nós e isso é uma inspiração para mim. Tem sido uma jornada incrível com este carro e este ano, pelo que concluir a temporada com a pole position é simplesmente fantástico. Ainda não é nem metade do que temos que fazer, mas este resultado coloca-nos na melhor posição possivel para amanhã, na nossa luta com os Ferrari e Red Bull”.
Valtteri Bottas

Atrás do britânico e a completar o excelente resultado da Mercedes no Q3, Valtteri Bottas garantiu a 2ª posição. O tempo de 1m34.973 mostrou o andamento superior dos carros da ‘silver arrow’, os únicos a concluirem o Qualifying abaixo do segundo 35.

“A minha volta foi boa, mas fico com a sensação que o Lewis foi demasiado rápido hoje”, disse o finlandês. “Usámos setups diferentes no Qualifying, mas no final das contas, acho que me sentia mais confortável no carro ontem. De qualquer forma, o meu foco está na corrida de amanhã, pois já sabíamos ao ir para o Q3 que eu teria que sair do fim da grelha de partida, em virtude do ‘grid penalty’. Mesmo assim dei o máximo em pista, mas no Q2 só dei uma volta rápida, pois quis poupar os pneus para amanhã. A corrida deverá ser bastante interessante e tentarei recuperar o máximo de posições possivel”.

Max Verstappen garantiu o 3º lugar no Q3 (1m35.139). O holandês teve um excelente desempenho na sessão, conseguindo colocar o seu carro entre os Mercedes e Ferrari e pela primeira vez não foi batido por um companheiro de equipa no Qualifying de Yas Marina.

“Estou muito satisfeito com o Qualifying pois conseguimos extrair o máximo do carro”, disse Max Verstappen. “Obivamente queriamos estar à frente ou mais perto da pole.mas acho que isto era o melhor que podíamos fazer e extraimos tudo o que era possivel do carro. Existem pistas no calendário onde certos carros funcionam sempre melhor que outros e onde se consegue mais facilmente encontrar um bom setup. Esta é uma pista que favorece os Mercedes e onde nós tivemos dificuldade no terceiro setor.
Com a penalização do Valtteri eu começo da primeira linha, o que me poderá ajudar na corrida. A partida é muito importante pois é difícil ultrapassar aqui, mas a corrida é longa e lutaremos, como sempre, pela vitória. Os Mercedes estarão rápidos e não será fácil, mas como equipa tentaremos dar o nosso melhor, colocar os seus carros sobre pressão e dificultar a sua performance ao máximo”
.

A Ferrari confirmou no Q3 o quanto está a lutar para encontrar uma boa afinação para os seus carros, tanto para o Qualifying como para a corrida. Charles Leclerc foi 4º (1m35.219), de novo batendo o seu companheiro de equipa, Sebastian Vettel (1m35.339). O francês acabou prejudicado pelo alemão na tentativa de uma última volta rápida no Q2 e no Q3, ainda que no início estivesse logo atrás dos Mercedes, acabou por ser superado por Max Verstappen. Amanhã, Leclerc sai da 3ª posição, com Vettel a seu lado, mas os carros da marca do ‘cavallino’ terão que encontrar uma solução que os ajude a ser melhores no terceiro setor, uma secção determinante na pista de Yas Marina.

Alexander Albon garantiu a 6ª posição do Q3. O piloto da Red Bull tem estado bem todo o fim de semana e com a volta em 1m35.682, ainda que a mais de meio segundo do seu companheiro de equipa, vai-se mostrando cada vez mais à vontade ao volante do RB15 em fins de semana de corrida.

Com excelente desempenho no Q3, Lando Norris colocou o McLaren Renault na 7ª posição (1m36.436). A sua melhor volta, obtida na segunda tentativa do Q3, fez com que batesse o companheiro de equipa, Carlos Sainz, o que significa que no frente-a-frente entre os dois em Qualifying, acaba por ser o britânico quem garante o melhor ‘score’ (11 contra 10). Quem também bateu o companheiro de equipa na última sessão de qualificação do ano foi Daniel Ricciardo. O australiano colocou o Renault na 8ª posição (1m36.456), seguido de Carlos Sainz (1m36.459). O alemão Nico Hulkenberg, em corrida de despedida da Renault, ficou com o derradeiro lugar do Q3 (1m36.710).

Texto: Jorge Cabrita – Fotos: Oficiais/Mercedes, Ferrari, Red Bull (Getty Images), Renault, McLaren (Motorsport Images)

Alexander Albon

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of